Passar para o Conteúdo Principal
 

Estudantes entram no mundo da Tecnologia para o Conhecimento

Estudantes entram no mundo da Tecnologia para o Conhecimento

Durante esta semana, cerca de 200 estudantes do Ensino Secundário e Profissional visitam a Unidade de Computação Científica Nacional, no âmbito da “Semana Aberta da FCCN”. Visitas ao Estúdio FCCN, ao Datacenter e à Sala Imersiva Tejo HD são alguns dos pontos altos.

Um grupo de 50 estudantes da Escola Profissional Magestil foi o primeiro a participar nesta iniciativa, no início da tarde de segunda-feira, 18 de novembro. À chegada, a professora responsável, Vera Sousa, explicou o objetivo desta visita à Unidade de Computação Científica Nacional da FCT, FCCN.

“Procuramos abrir a visão dos estudantes para coisas novas”, sublinhou, explicando que as várias áreas presentes nesta organização “trarão novos conhecimentos aplicáveis aos projetos que realizam em escola, numa lógica de transversalidade”.

A transversalidade é uma das tónicas da visita dos estudantes à Unidade de Computação Científica. Para além da visita ao Estúdio FCCN, destacam-se a passagem pelo Datacenter FCCN ou pela Sala Imersiva Tejo HD.

Já depois de visitar todas estas estruturas, o estudante Gonçalo Dias, de 19 anos, avalia o trabalho aqui realizado diariamente como sendo  “bastante importante”. “Penso que é importante, ao ser uma instituição que está focada na Educação e não procura apenas o lucro”, realça.

 

 

Semear o futuro

Gonçalo foi um dos cerca de 200 estudantes que, ao longo desta semana, participam na “Semana Aberta da FCCN” – uma ação que procura proporcionar “uma experiência imersiva pelo mundo FCCN”.

“O objetivo desta iniciativa passa por semear o futuro”, sublinha a Diretora de Controlo, Planeamento e Gestão desta unidade da FCT, Salomé Branco. Desde logo, explica, esta é uma forma de dar a conhecer os serviços e projetos da FCCN a futuros estudantes do Ensino Superior, garantindo o seu acesso e utilização futura.

Por outro lado, acrescenta a diretora, esta ação insere-se também na missão da Unidade de Computação Científica Nacional, ao “tentar captar estudantes para a área das tecnologias” – uma área em que, salienta, “há menos recursos humanos do que o mercado necessita”.

 

Conhecimento e motivação

Para uma das participantes, Mariana Esteves, de 18 anos, a visita ao Estúdio FCCN teve “especial interesse”: “Foi a primeira vez que entrei num estúdio com estas características e gostei muito da experiência”.

Sendo estudante do curso profissional de Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidade, teve também a oportunidade conhecer alguns dos equipamentos e técnicas que poderá vir a aplicar, no futuro. “É um sítio onde me imagino a trabalhar no futuro”, conta, revelando, sorridente: “Até perguntei se aceitam estágios”.

Foi no Datacenter FCCN que a participante Mariana Silva, de 18 anos, avaliou a sua experiência. “Penso que é importante conhecermos o que está por trás do que vemos todos os dias”, sublinhou.

A visita serviu para garantir novos conhecimentos e teve ainda um efeito motivador, concluiu: “Fiquei mais motivada para acabar o meu curso – ficamos sempre motivados quando conhecemos o lado mais prático das coisas”.