Passar para o Conteúdo Principal
 

«Participar nas Lightning Talks tem sido gratificante»

«Participar nas Lightning Talks tem sido gratificante»

Os estudantes do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), Fábio Lourenço e Luís Sampaio, foram selecionados para partilhar os seus projetos na maior conferência de redes académicas do mundo. A TNC20 foi cancelada, mas a jornada dos estudantes de Mestrado em Engenharia Informática não terminou.        

Os estudantes Fábio Lourenço e Luís Sampaio tinham um voo para o Reino Unido marcado para junho. Contudo, como milhões de outras pessoas, em todo o mundo, viram os seus planos alterados e a viagem cancelada. O destino era Brighton, com o objetivo de participar na TNC20 – a maior conferência de redes académicas do Mundo, organizada pela GÉANT. O evento foi, entretanto, cancelado e adiado para 2021, devido à pandemia do novo coronavírus.

A oportunidade de participar surgiu através do programa Lightning Talks, uma iniciativa promovida em Portugal pela Unidade de Computação Científica Nacional (FCCN) da Fundação  para a Ciência e a Tecnologia, em Fevereiro.

O desafio lançado a todos os estudantes é simples: “partilhar as suas ideias e projetos de estudo/investigação na área das tecnologias, nomeadamente IT ou redes de computação”. Depois da submissão de candidatura, um painel de jurados da GÉANT escolheu os melhores trabalhos, oferecendo aos vencedores possibilidade de pisar o palco da TNC, apresentando os seus projetos. Os estudantes selecionados recebem ainda formação específica da GÉANT, através de três webinars sobre “como escrever propostas e falar em público”.

Ainda que a viagem tenha sido cancelada, a jornada não terminou. A organização do programa de talentos da GÉANT – Future Talent Programme – decidiu continuar com a formação e transformar as apresentações ensaiadas em vídeos de 5 minutos que serão partilhados através das redes sociais, no final de junho. Desta forma, Fábio e Luís têm participado nestas formações a distância.

Até agora, contam os estudantes, a experiência tem sido “gratificante”. A formação, explicam, está a ser valiosa, detalhando técnicas concretas de apresentação, organização e concretização das propostas a divulgar. “Aprendemos que uma apresentação não é apenas relatar e falar sobre diapositivos. É transmitir uma mensagem, cativar a audiência e fazer com que a mesma se identifique com o tópico em discussão”, explicam os estudantes, destacando a importância de contar uma história, dar exemplos e manter uma abordagem informal, acessível e respeitosa.

Por esta razão, para Fábio e Luís, a participação neste programa está a ser útil, em termos de desenvolvimento pessoal, conhecendo novos recursos e aprendendo a gerir o tempo, por exemplo. Por outro lado, os estudantes destacam a importância do contacto com participantes de outros países, “trocando impressões, conselhos, feedback e histórias”: “Ouvir outras perspetivas e técnicas de apresentação potenciou o que foi apreendido ao longo dos workshops”.

O tema da apresentação dos estudantes portugueses relaciona-se com engenharia de software e de inteligência artifical. A mensagem da apresentação Synthetic telepathy for human-machine interaction on decentralized messaging applications poderá ser bastante complexa. Contudo, os estudantes acreditam que, através da formação ministrada por Michael Koenka, será possível estabelecer uma comunicação eficaz. “Estamos a retocar o conteúdo a apresentar, com o objetivo de o tornar o mais acessível possível para [todas as] pessoas”, concluem.